22 de abr de 2013

Tom Cruise nunca sai de moda e volta com Oblivion

Segunda, véspera de feriado de São Jorge, e decidi correr ao cinema para assistir Oblivion com Tom Cruise. Eu sou suspeita pra falar, pois sempre gostei dos filmes do Tom (já sou íntima). Desde a adolescência já o via na telona, tinha lá meus 13 anos e fui com minha mãe em um cinema de rua no bairro da Penha assistir a Dias de trovão. Isso quando ainda tínhamos cinemas maravilhosos de rua com o pipoqueiro do lado de fora da porta do cinema e aquelas senhoras vendendo balas variadas em caixas de sapato. 


Oblivion tem um roteiro bem interessante, porém confuso (como alguns roteiros de filmes estrelados por Tom, como por exemplo, MINORITY REPORT - A NOVA LEI de 2002, que é pra lá de confuso). Filmes de Ficção cientifica e Ação são os preferidos de Tom Cruise e do público em geral. Ficção sempre gera bons lucros de bilheteria, o público gosta de ver o impossível se tornando possível. Mexer com o imaginário das pessoas, com uma hipótese de futuro sempre foi e vai continuar sendo uma forma de atrair audiência, por isso Matrix fez e ainda faz grande sucesso.

Oblivion se passa em uma Terra pós-apocalíptica, pós-guerra travada com alienígenas em 2017. Em 2077 (período em que passa o filme) não há muito que se ver, tudo é escasso e Tom (Jack) vive em uma base lunar fazendo reparos em sistemas que alimentam um planeta chamado Titã (onde supostamente vivem os sobreviventes). Tudo muda quando ele encontra uma nave destruída na Terra com uma mulher que há 60 anos dorme em uma cápsula. 

Vale a pena assistir, ficção cientifica está em alta ultimamente e tem feito o sucesso do público com filmes como A Viagem, Origem e tantos outros. Oblivion foi sucesso de bilheteria nos Estados Unidos e levando em contas as filas quilométricas para assisti-lo nas salas do Barra shopping não tenho dúvida que o será por aqui também.