20 de jan de 2014

Vamos dar um "rolezinho” logo ali?



Quem me conhece sabe que não tenho o costume de fazer postagens políticas, ou demagógicas, quase todas são praticamente um dramalhão mexicano sentimental de minha vida enlouquecida. Mas ao ver essa foto circular pelo facebook, confesso que meus olhos se encheram de lágrimas e vi que precisava fazer algo. Tanta coisa me passou pela cabeça. Tantos sentimentos misturados: de tristeza, pena, impotência, mas também de superação, determinação e até de esperança. Sim esperança, porque o futuro de muitos jovens como o desse menino pode ser diferente com a minha, a sua, a nossa ajuda.

Jovens, ao invés de “rolezinho” no shopping. Por que não ajudar meninos como esse que nem uma mochila tem?

Lá vem ela misturando as coisas sem entender nada. Volta lá pras suas postagens de amor. E qual a relação de “rolezinho” com esse menino pobre? Eu lhes digo, TODA!!!

Primeiro que “rolezinho” é o tipo de manifestação mais patética que já vi na vida. Direito de passear no shopping e tirar foto? Pelo amor de Deus! Cadê os jovens que foram as ruas ano passado e mostraram o que é lutar de verdade e se fizeram ouvir com dignidade? Shopping sempre foi lugar público, branco, amarelo, verde, lilás, qualquer um pode passear no shopping. Agora entrar e fazer arruaça isso não é lutar. Lutar não é gritar pra ser ouvido, é mostrar com exemplos que vocês podem fazer a diferença sim. Mesmo porque atrapalhar o pobre do lojista que trabalha o dia todo pra pagar os impostos dele e precisam vender para receber a comissão no final do mês é desnecessário.

Ok, o papo tá chato e vocês ainda não entenderam onde entra o menino pobre nisso tudo. Vai uma ideia pra vocês, uma ideia que realmente fará a diferença.

Sabe aquela ESCOLA PÚBLICA do seu bairro, aquela mais humilde, pois é, ADOTE-A.

Junto com os seus amigos: doe mochilas, livros, canetas, lápis, papel, material de limpeza, conheçam a escola do seu bairro e sejam conhecidos. Que diferença real para o mundo vocês não poderiam fazer, não é verdade? Às vezes o pouco que você tem e não te serve mais é o muito para meninos lutadores como esse.

Infelizmente não o conheço, pois se o conhecesse eu o daria uma mochila agora mesmo, porque meninos como este de pobre não tem nada; são ricos de vontade de aprender, ricos de esperança e de força de vontade.

Mas como ele, muitos e muitas precisam em toda parte do Brasil, que é enorme e desigual. Vamos fazer a diferença de verdade? Que tal juntar seus amigos essa semana, ver tudo que vocês compraram de novo e não serve mais e levar a uma escola pública? Tirem muitas fotos por lá e postem nas redes sociais.

Vamos ajudar quem precisa mais que a gente? Tenho certeza que será o rolezinho mais significativo e importante na vida de cada um de vocês.