10 de jan de 2012

Colcha de retalhos

Ano novo, vida nova. Essa é a frase mais falada, escrita e desejada do momento. Mas convenhamos, o que mudou na sua vida com a virada do ano? É sempre assim, chega dia 31 e todos dormem esperançosos que num passe de mágica tudo mude pra melhor no dia 1º. Que o emprego vai aparecer dos céus, que o namorado dos sonhos vai pintar enviado por um cupido inspirado, que dessa vez você perderá 10 kilos e que finalmente fará aquele doutorado tão almejado. Tá bom, vocês vão me chamar de desanimada, descrente, deprimida, nada sonhadora, mas não é nada disso não. Estou sendo simplesmente realista. 

Acho que ando realista, prática e meio fria ultimamente, com uma sensação de tanto fez tanto faz. Mas também no último mês passei por um turbilhão emocional digno de novela mexicana. Sabe aquele cara que você encontra “do nada” e que de cara está disposto a te namorar? Aquele tipo que diz que já chegou à hora de construir família, fazer planos juntos, viajar sempre a dois... Namorar muitos anos pra que? Você é tudo o que eu sempre quis numa mulher! E o pior é que a gente ainda acredita neles e cai nesse papinho. Mergulhamos, nos dedicamos e pensamos – se eu sou legal pode ser que ele seja também, vai que é ele o tal cara que esperamos a tanto tempo vir a nado do Japão e finalmente chegou. Mas passado o primeiro mês, as primeiras divergências de opinião e um sumiço repentino, eis que o cara dos sonhos pira e te manda o seguinte torpedo: Você é uma pessoa maravilhosa, mas não adianta nada a gente ficar juntos se eu não estou numa fase boa, não sei o que quero pra minha vida. O problema é comigo. Não quero te magoar. Fala sério, esse é o toco mais clássico de todos os tocos existentes no mundo. Aquele toco de que o problema não é você, sou eu, você é ótima, eu é que não sei o que quero é o chamado Toconfuso (ver O Guia do Toco). Realmente o único problema não é que ele não queira namorar ou esteja confuso, ele simplesmente não quer é te namorar e provavelmente até já tenha outra (provavelmente não, com certeza já deve ter outra). Porque homem é assim, arrasta o namoro até conhecer outra e nos deixar. É muito difícil um carinha ficar solteiro por ficar. Mas, por mais que machuque sempre saímos de um relacionamento aprendendo algo, é sempre mais uma lição de vida pra todas nós. 

Vovó sempre dizia, mas eu não queria acreditar: Laranja, em beira de estrada, ou está podre ou está bichada. Agora é seguir enfrente e pensar que tudo que vem fácil vai fácil, que da mesma forma rápida que começou acabou. Foi só um cometa na sua vida e que dias melhores virão. Nada é eterno nem a alegria e nem a tristeza. 

Ando tão cansada, preciso de férias, estou me arrastando, com a sensação que ainda estou em 2011. Deve ser porque o ano letivo na escola que trabalho não terminou ainda. Acho que só quando entrar de férias terei a sensação de ciclo terminado, de algo concluído e que estou em 2012.

O ano de 2011 foi bom pra mim, recebi novas responsabilidades no âmbito profissional, fiz novas amizades, comecei a malhar 2 vezes por semana com uma professora particular. Emagrecer, emagrecer ainda não (o chocolate não me deixa e lembrem que passei pelo turbilhão emocional, momento este que necessitou de muitas barras de chocolate 70% cacau para ser digerido com mais sabor), mas o condicionamento físico é outro, como malhar é bom! Não acredito que falei isso. Muitas coisas pra falar, muito tempo sem postar aqui, mas temos o ano todo pra falar de todos os retalhos que compõem a colcha da minha vida. E que venha 2012.